sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Crueldade


Foi para grande espanto meu, que ao ver o telejornal, me deparo com uma notícia deveras cruel. Um «dito artista» (porque eu não lhe vou chamar algo que não é) utilizou um cão, ainda por cima deficiente, numa exposição.
Sem comida nem água, o cão acabou por falecer à frente de toda a gente completamente indefeso, amarrado e deixado a um canto. Percebp, em parte, o que ele quiz transmitir, mas escusava de ir tão longe e de «matar» o cão. "Ninguém fez nada a ver o cão a desfalecer". Oh! Novidades!? É só sair à rua e ver como as coisas se passam, e não é preciso ser muito observador. É simplesmete ir a um hipermercado, por exemplo, e ver alguém estacionar num estacionamento reservado a pessoas portadoras de deficiências quando não tem qualquer tipo de deficiência. Até mesmo no dia a dia uma pessoa se depara com obstáculos que se para pessoas sem qualquer problema tem dificuldades quanto mais uma pessoa, por exemplo, de cadeira de rodas.
Sim, realmente é preciso abrir os olhos ás pessoas e fazer alguma coisa, mas não é preciso andar por aí a «matar» seres que não se podem defender. É preciso reeducar a sociedade, e isso cabe-nos a todos!